Google+ Followers

domingo, 21 de agosto de 2011

Diálogos - paroxismo dialético



A Matrix dos códigos internos. (camadas)

DAI – Ano 10 (PARTE I)


_ Sapien, Sapien, me socorra! Eu estou sendo perseguido por férmitrons..

_ Alto lá! Quem está aí?

_ Sou eu, Esteven; por favor, me ajude.. Está muito escuro aqui e sinto que eles não estão longe!

_ Sei.. Esteven. E o que você é, Esteven?

_ Sou programador da Lumistar.

_ Entendo.. Mas e como você chegou até aqui, fantasma?

_ Tenho arquivado um link com referência sua, recebido de um amigo.

_ Certo.. Aproxime-se; mas devagar!

_ Ok. Mas seja breve.. Eles já me pegaram uma vez.

_ Sente-se aqui.

_ Onde?? Eu não consigo enxergar!..

_ Se você é mesmo programador, como não consegue sair daí?

_ É que já estou conectado a mais de 4 meses, senhor.

_ Mas e a tua entrada? Você perdeu o endereço da tua entrada??

_ Não... É que eles conseguiram me confundir bastante e apagar alguns arquivos mentais, mestre. Por favor; não faça mais perguntas. Me acolha!

_ Você vê a luz rosa?

_ Sim, eu posso vê-la...

_ Então siga-a e ao final, sente-se.
(caminhando cerca de 10 metros).

_ Que é isso.. um sofá?

_ Trata-se de uma poltrona, meu querido.

_ Eles não conseguem entrar aqui, né?

_ Depende...

_ Como assim, depende; o senhor não está fora?

_ Sim. Eu jamais estive dentro, mas você está.

_ Mas e agora! E se eles me pegarem denovo?.. O senhor não faz idéia de como eles sugam, batem e mexem com a gente; são mentes completamente perdidas!

_ E você não está perdido..?

_ Estou.. Mas o meu caso é diferente.. Eu fui hackeado; não fosse por isso e estaria ainda curtindo no mundo *boni.

_ Já te largou o medo..?

_ Sim.. Estou um pouco mais calmo agora.. Tenho corrido por horas que já até perdi a conta.. Mas sinto que eles ainda estão próximos.

_ É claro que eles estão, idiota; não foste hackeado?

_ É verdade... E agora não posso mais sair.. O que vai ser de mim, senhor? Não podes me desconectar..?

_ Infelizmente, não. Só você tem o endereço original e o código de acesso criptografado na tua retina, esqueceu?

_ Sim, eu sei.. É que eu pensei.. Dear-Science!.. E se me apagaram a entrada??

_ Pensou o que, fantasma?

_ Pensei que o senhor poderia me liberar..

_ Eu até que poderia.. Mas...

_ Mas, o quê, senhor, me diga..

_ Acontece que tem uma condição.

_ Condição..? Aqui é muitíssimo escuro e não percebo quase nada no ambiente.. Onde estás na terra, se, bem dizer, já não há lugares habitáveis sem a rede?

_ Uma pergunta de cada vez, borg.

_ Certo...

_ Onde o senhor se encontra?

_ Isso eu não posso te dizer.

_ E qual a condição?

_ Queres mesmo que eu te seja sincero?

_ Por favor, sapien.

_ Não encare como uma ameaça essa minha resposta.

_ Sim, eu confio, senhor.

_ Terás meu particular juízo de valores.

(...continua...)

Um comentário:

Deixe aqui seu comentário. Muito Obrigado!
*Responderei o mesmo assim q possível*