Google+ Followers

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Profecia das Sombras




Círculo de AGAS
(transcodificação ocultista)

No mundo deste mundo hoje surgem quatro novos mundos que já se entrechocam e se repelem no sentido de suas definições. A marcação de territórios e a divisão dos homens, se dá, muito que veladamente, em guerras que se fortalecem dia após dia no plano astral, no plano mágico (ou sutil) e no plano mental – interdimensões do espírito.

Não é, pois, somente da psique o caso em questão, abarcando essa disputa a todos os níveis do que ordinariamente temos por consciência de espécie. Arquétipos do passado remoto se re-manifestam, bem como, novos modelos e simbologias de raças futuristas. Desse modo, tanto se amplia o conceito de humano como se o extrapola.

Falando, assim, do que principia a ocorrer e só tende a aumentar em tempos do futuro breve, iremos pincelar (sem dar o quadro integral, obviamente) do que já vemos no surgir desta nova expansão metamórfica – expansão que, como dito, além de novas dimensões sócio-cognitivas, também nos propicia um como que correlato para a marca da besta.

As posições demarcatórias atuais, por assim dizer, colocamos pelas seguintes frentes místico-filosóficas do amplo arcabouço imagético dos seres humanos: - Resgate Ancestral (das tradições todas de um paganismo pré-cristão). – Espiritualidade Tradicional (das religiosidades convencionais, institucionais e políticas). – Humanismo Antropocêntrico (do hedonismo utilitarista que perfaz o modus padrão hodierno). – Cientificismo Utópico (de força transhumanista e promotora da caixa de pandora).

Sem dar nome certo aos “bois”, vale ressaltar a tremenda confusão que suscita discussões ontológicas, antropológicas e/ou de futurologia para com os filhos destes novos mundos nascentes. Não vamos dizer que não cabe discutir os “pormenores”, contudo, as adesões e influências, sejam “para lá ou para cá”, acontecem mesmo de maneira muito mais sutil do que se imagina; incluindo aí, outrossim, o mover de forças ocultas.

Para finalizar, em termos de pistas, pois que conclusões atualmente sobre isto e sobre aquilo, no geral, não se fazem senão ridículas, eis que nós sinalizamos: nossa atual humanidade está realmente no limiar de um largo processo de “rachadura”. Mostra-se-nos, portanto, partida em no mínimo quatro novas “grandes” espécies.

De que tipo serão estas novas configurações e de onde (além de como) surgirão é que nos cabe meditar. Mais do que isso, importa buscarmos saber de que tipo nós, individualmente, pretendemos ser nesse amanhã. Agora, sobretudo, é mesmo digno de nossa atenção que isso se dê do modo mais “tranquilo”, com discernimento e o menos traumático possível para todos os seres – se é que isso de alguma maneira seja efetivamente realizável.


Ldk, 20/9/12

Um comentário:

  1. Muito bom,creio que todos deveríamos nos interessar um pouco pelo assunto sobre o paganismo, pois muitas pessoas veem como algo sobre o mal,e não se trata nada disto bem,é bem o contrário.Gostei do texto e recomendo que leiam mas sobre paganismo.Bom tema L.Janz.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. Muito Obrigado!
*Responderei o mesmo assim q possível*